‘Meu irmão sente falta da mãe’, diz filha de presa por furtar água em MG

Diarista passou mais de cem dias na prisão após adulterar hidrômetro da Copasa para ter água para matar a sede, cozinhar e dar banho no filho de 5 anos; a filha mais velha tem 17 anos

“Todo dia eu peço pra Deus soltá-la”, clama Joana*, de 64 anos, que vive a angustia de ter a filha, uma diarista de 34 anos, presa por mais de cem dias por retirar o lacre do hidrômetro e furtar água para a família sobreviver.

O companheiro também foi preso na ocasião, pelo mesmo crime, mas já está solto. O caso aconteceu no distrito de Doleariana, pertencente à cidade de Estrela do Sul, no Alto Paranaíba. 

Após brigar na Justiça de Minas e ter pedido de habeas corpus negado em todas as instâncias, a diarista contou com a ajuda da defensora pública Alessa Pagan Veiga, que ficou sabendo do caso por meio de um bilhete repassado a ela na penitenciária. 

A advogada recorreu até a mais alta instância, o Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Alexandre de Moraes, então, concedeu a revogação da prisão preventiva da diarista, que, até o fim da noite dessa quinta-feira (18), não havia deixado a penitenciária de Uberlândia I.

fonte:otempo